Seu filho vai tirar a fralda?

Quando Vitor tinha 3 anos, a idade sugerida pelos especialistas para começar a usar o banheiro, a escola propôs a retirada da fralda para todos os alunos ao mesmo tempo. Muitas escolas fazem esse trabalho para facilitar a transição, já que uma criança incentiva a outra. Não foi o que aconteceu com Vitor, que só tirou a fralda com 4 anos e meio. “Na primeira vez que tentamos, ele ficou uma semana sem fazer cocô. Simplesmente travou. Não fazia nem quando colocávamos a fralda. Ele começou a se sentir mal, então levei à pediatra e ela disse que não era o momento dele”, conta a mãe Fernanda Fontes, que esperou mais um ano e, quando o inverno passou (essa é uma recomendação dos pediatras), tentou mais uma vez. “Aí ele prendia o xixi. Não pedia para ir ao banheiro. Voltamos à pediatra, conversamos com um pedagogo e até comprei um livro sobre essa etapa. Começamos a falar mais sobre o assunto, mas de uma maneira sutil. E ir aumentando os períodos sem fralda durante o dia. O processo todo demorou mais de um ano.”

Apesar do controle da urina e das fezes começar aos 2 anos, cada criança tem o seu tempo e o seu ritmo para aprender a usar calcinha e cueca. “O principal é passar tranquilidade para o filho, mostrar que é natural e faz parte. Se ele estiver com dificuldade, é preciso ir mais devagar mesmo, aos poucos”, diz a pedagoga Maria de Fátima Pupo. E nada de punir as “escapadas” de xixi e cocô na calça ou na cama. É bem provável que aconteça e você vai precisar ser paciente e compreensivo até que seu filho controle totalmente o organismo. A fralda da noite é a última a ser tirada. O sinal de que seu filho está preparado para dormir de cueca ou calcinha é acordar sequinho. Para ajudar, evite dar líquido à noite e leve-o ao banheiro antes de deitar, e no meio da noite, se ele sentir vontade.

Seu filho já está pronto para retirar a fralda se:
– tem por volta de 2 anos;
– já fala bem;
– consegue se concentrar numa atividade por algum tempo;
– avisa quando fez xixi na fralda;
– às vezes anuncia que vai fazer xixi;
– se agacha para demonstrar que quer fazer cocô.

Fontes: Luiz Celso Vilanova, neuropediatra da Unifesp; Maria de Fátima Pupo, diretora pedagógica da Escola Girassol (Jaú-SP)
Publicado em http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI294972-15105,00.html